Você trabalhou por décadas, contribuiu com o INSS, evitou ficar um mês sequer desempregado e deu o seu melhor. Agora é hora de descansar e curtir a vida em um ritmo mais lento, focando mais em viagens e na família do que em compromissos na empresa, correto? 

Mais ou menos. Ainda falta um ponto essencial: saber como dar entrada na aposentadoria. Pois é! Entender esse processo é importante para aumentar suas chances de sucesso.

Em 2019, o INSS chegou a rejeitar a maioria dos pedidos de aposentadorias apresentados ao Instituto. Dos aproximadamente 1,6 milhão de pedidos feitos ao órgão, apenas 713 mil foram aprovados, o que seguiu a média registrada nos anos anteriores. Esses dados mostram como é importante fazer o seu pedido do jeito certo para reduzir as chances dele ser negado por qualquer razão.

Quer saber como dar entrada na aposentadoria da maneira correta e ver quais são os documentos e passos para isso? Então, siga a leitura do artigo abaixo!

Como dar entrada na aposentadoria em 5 passos?

Para apresentar um pedido de aposentadoria ao INSS, é bom seguir um mini-roteiro. Dessa forma, será possível organizar as informações e listar corretamente todos os documentos necessários.

Isso ajudará a evitar que o pedido chegue lá, leve semanas para ser analisado e retorne negado por causa de um simples erro que poderia ser facilmente corrigido.

Veja abaixo quais os passos para aprender como dar entrada na aposentadoria do jeito certo!

1. Identificar o seu tipo de aposentadoria

O primeiro passo é entender que há diferentes tipos de aposentadorias. Por exemplo, existe aquela dedicada a quem foi autônomo, como MEIs, empresários, profissionais liberais ou outros tipos de trabalhadores por conta própria.

Existe a aposentadoria para quem sofreu algum tipo de acidente ou doença que o incapacite para o trabalho laboral. Existe também a aposentadoria especial, dedicada a quem trabalha em condições insalubres e exposto a riscos como ruídos, por exemplo.

Seja qual for o seu caso, ele estará adequado a um tipo específico de aposentadoria. É importante entender todos eles para poder escolher aquele que renderá o melhor benefício para você. Além disso, esse conhecimento é necessário  por causa do nosso segundo ponto!

2. Verificar os requisitos

Cada tipo de aposentadoria tem uma série de requisitos específicos. Existem as exigências documentais (falaremos sobre elas logo a seguir) e existem também os requisitos mínimos determinados pela Reforma da Previdência.

Por isso, é importante entender qual é a sua aposentadoria, para saber que idade, contribuição e outros elementos você precisa ter para poder se qualificar a ela.

3. Reunir os documentos

Não basta apenas cumprir os requisitos básicos para solicitar a aposentadoria junto ao INSS. Também é necessário provar que você cumpre todas as exigências, e isso é feito com uma série de documentos específicos. 

Seja qual for o seu tipo de aposentadoria, você precisará dos seguintes documentos:

  • RG e CPF;
  • Comprovante de residência;
  • Carteira de Trabalho (todas da sua carreira);
  • Extrato CNIS (também chamado de Extrato Previdenciário);
  • PIS/PASEP ou NIT;
  • Carnês de contribuição para períodos sem vínculo empregatício.

Se, por alguma razão, você perder uma Carteira de Trabalho, não precisa se preocupar. É possível confirmar um vínculo empregatício com documentos, como contrato de trabalho, plano de saúde corporativo, holerites, controle de ponto ou outras informações. Nesse sentido, até mesmo prova testemunhal pode ser usada. 

No entanto, o ideal é conservar todas as suas carteiras de trabalho, para evitar ter de usar esses outros documentos.

Além dos itens citados, você ainda precisará de outros documentos dependendo do tipo de aposentadoria escolhida, como o PPP ou uma perícia médica. Por isso, é importante entender quais as exigências de cada modalidade,  para que possa se preparar com antecedência.

4. Verificar e checar todos os passos

Depois de reunir todos os documentos, faça uma revisão completa da  papelada para garantir que você está com tudo reunido, inclusive originais e cópias autenticadas.

É importante fazer esse processo para garantir que você não esqueceu de nada antes de entregar o pedido para o INSS.

5. Contar com um advogado previdenciário

Para finalizar, é essencial contar com o apoio de um advogado previdenciário para fazer o seu pedido, por uma série de fatores. 

Em primeiro lugar, um especialista na área ajuda a guiar todo o processo. Por exemplo, caso você tenha perdido a sua carteira de trabalho, ele pode ajudar a montar provas que poderão atestar o tempo trabalhado em uma determinada empresa.

Além disso, ele poderá orientar sobre como dar entrada na aposentadoria e acompanhar o processo do jeito certo. Isso inclui pedidos para que o INSS cumpra o prazo estipulado em lei para dar uma resposta.

Esses são os principais passos para dar entrada na aposentadoria. Usando essas dicas, ficará mais fácil aumentar as chances para que o seu pedido seja aprovado junto ao INSS. Assim,você finalmente poderá aproveitar o descanso merecido que foi conquistado com muito suor durante toda a sua carreira de trabalho. Afinal, todos aqueles anos de esforço terão valido a pena quando a sua aposentadoria, finalmente, for aprovada.

Precisa de ajuda para organizar corretamente o seu pedido de aposentadoria? Então, entre em contato com o nosso time e saiba como podemos ajudar!